A Teosofia em geral tem uma forte influência nos novos ensinamentos, especialmente em suas vertentes históricas centralizadas em Helena P. Blavatsky e sua sucessora espiritual Alice A. Bailey. Porém, dentro das revelações do Plano da Hierarquia, procura-se hoje dar uma cor mais “científica” ao tema, tratando basicamente de retirar os véus remanescentes, além de apurar sínteses e agregar idéias complementares, como seria a questão social e a própria espiritualidade e iniciação. Esta é a origem da “Teosofia Científica”, uma doutrina promissora que trabalha basicamente com a Ciência dos Ciclos. Uma Teosofia Científica reuniria -nada mais e nada menos- que os dois pólos extremos do conhecimento (espiritualidade e ciência), preenchendo daí todo o leque do humano saber.

APRESENTAÇÃO ........ HOME ........ INICIAL ........EDITORA........ VIDEOS........ GRUPOS........ GLOSSÁRIO

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Teosofia Esotérica de Alice A. Bailey

Para o mestre verdadeiro, o bom discípulo é aquele a quem o maestro dá uma nota e o aluno faz uma canção. O mestre tem a virtude de dar a nota certa e despertar a força e a criatividade do discípulo.
Pois assim fez a discípula Alice A. Bailey, a quem os mestres amaram e abençoaram de forma especial, por sua pureza e dedicação, em relação àquilo que recebeu da Sociedade Teosófica, seus guias e dirigentes espirituais, e da qual ela era membro da Seção Interna na Califórnia.

Para nos limitar aqui apenas aos temas espirituais, e não institucionais, Bailey avançou significativamente em muitos setores do conhecimento esotérico, depois que alcançou realizar tarefas discipulares exemplares, como resumir e sintetizar os elementos esotéricos da “Doutrina Secreta” de Blavatsky, através do seu “Tratado sobre Fogo Cósmico”, e depois fazer o mesmo no tocante à Astrologia oculta, com os resultados reunidos na sua obra “Astrologia Esotérica”.
Sua grande tarefa foi, basicamente, organizar e codificar o conhecimento, especialmente aquele advindo da literatura teosófica.

De pena fluente e ampla telepatia superior, esta moderna pitonisa canalizou dezenas de obras profundas e inspiradas.
De forma preparatória e humana, abordou a iniciação, o discipulado e a educação na Nova Era. Suplantando a pregação ética da Teosofia, sempre necessária e em especial num tempo de materialismo, e apontando já para além de uma difusão de conhecimentos orientais, Bailey tratou temas do ocultismo prático com desenvoltura, trazendo uma síntese de informações evocativas das melhores escolas herméticas e do yoguismo.
No plano da Hierarquia, descreveu amplamente sobre as iniciações dos mestres, com destaque para a Nova Loja. De fato, Bailey colocou alicerces seguros para uma nova revelação acerca da Hierarquia de Luz, ao tratar dos ashrams espirituais ou das Lojas raciais. A partir disto, discorreu acerca da Manifestação da Hierarquia espiritual.

Foi uma autêntica profetisa voltada para as coisas novas, capaz de assumir de maneira quase isolada “todas” as dimensões da profecia, até o próprio expectantismo (pese o vivido na ST), o que a diferencia cabalmente dos anarco-movimentos new age comuns e a firma na linha da Tradição e da renovação veraz, como uma síntese emanada da Teosofia em prol da renovação do mundo.
Através dela, foi revelado o “Plano da Hierarquia de preparação da humanidade para a Nova Era”, em três etapas-gerações: a preparatória (teosófica), a discipular (Escola Arcana) e a iniciática (a surgir ainda...).


Nenhum comentário:

Postar um comentário